Exploração infantil em Madagascar

Cerca de 80% da baunilha vendida no mercado é produzida em Madagáscar. A baunilha é a segunda especiaria mais cara do mundo, ainda assim os agricultores de Madagáscar que a produzem vivem em condições duras de pobreza e têm dificuldade em alimentar as famílias.

Esta baunilha é usada em produtos vendidos aos consumidores por algumas das maiores marcas do mundo. Ainda assim para estas comunidades, os meses de Março e Abril são conhecidos como meses de fome. Existem cerca de 20 mil crianças, em trabalho infantil, na produção de baunilha em Madagáscar. número estimado pela Organização Internacional do Trabalho.

Cerca de um terço da mão da obra na indústria de baunilha do país é realizado por crianças com idades compreendidas entre os 12 e os 17 anos.

Em Março os produtores costumam ficar desesperados com fome, em muitos casos, pedem empréstimos aos intermediários que lhes compram a baunilha, usando a próxima colheita como garantia – o chamado “contrato da flor de baunilha”. Os comerciantes estabelecem o preço e voltam depois da colheita para receber o dinheiro da dívida e os juros elevados que se foram acumulando, comprando as vagens muito abaixo do seu valor de mercado.

No entanto, se a colheita for má ou se as suas plantas forem roubadas, podem ser forçados a vender gado, bens, a casa e, no pior dos casos, as suas filhas – algumas com apenas 12 anos – para pagar a dívida.

A lei de Madagáscar proíbe as crianças com menos de 15 anos de trabalhar. O país também ratificou as convenções internacionais sobre o trabalho infantil e a idade mínima laboral. Mesmo assim, a OIT diz que existem 2 milhões de crianças dos 5 aos 17 anos a trabalhar em várias atividades – quase 9% da população.

Foto: Peter Lykke Lind/Danwatch

Fonte/Origem da informação: UniPlanet

Os comentários estão fechados

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!