Deseja saber se o que consome é transgénico? Este projeto depende de si

Já pensou, quando entra em algum estabelecimento, se a fruta que vai comprar é geneticamente modificada ou se é original da região? Ainda não é possível o consumidor fazer esta distinção, no entanto o projeto rótulo “Sem OGM” quer acabar com este problema.

A Plataforma Transgénicos Fora está a criar um sistema de certificação nacional, em que os produtos certificados irão poder usar o rótulo oficial para identificar que não recorreram a Organismos Geneticamente Modificados (OGM) na sua produção (à semelhança do que acontece com a certificação biológica). Uma vez que a maioria dos consumidores desconfia dos OGM, estes só continuam a entrar na nossa alimentação porque há muitos produtos, como a maioria dos produtos pecuários, que não são rotulados. Este rótulo irá consciencializar os consumidores e causar uma grande pressão sobre produtores e comerciantes.

O mais importante é, sem dúvida, apoiar o crowdfunding.
Visite também o nosso facebook, a página SEM OGM e partilhe a informação.

Os transgénicos são seres vivos criados artificialmente em laboratório que vêm trazer muitos perigos desnecessários. Perigos de saúde para as pessoas, desequilíbrios para a Natureza, impactos para a agricultura convencional e biológica devido à contaminação e aparecimento de novas pragas, além de prejuízos para a economia pelo aumento do controlo corporativo sobre a alimentação – entre outros. Muitos são os riscos e impactos que já se conhecem sem que haja qualquer vantagem para a saúde ou o ambiente.

Via: Site Oficial do projecto “Rótulo Sem OGM”

Existem dezenas de países no mundo que devido às famosas sementes geneticamente modificadas estas revelam prejuízos grandes e por sua vez as dívidas podem levar à destruição das suas vidas.

Em Portugal o descontentamento gera-se no campo cientifico e do consumo, em que se coloca a questão da autencicidade e da origem dos produtos assim como se são modificados geneticamente ou não. Este rótulo que depende de um crowdfunding para atingir o orçamento de 8000 euros, caso se implemente, permitirá distinguir os que são geneticamente modificado e os que não são, sendo benéfico o consumidor escolher entre um produto modificado ou um produto com as prevalências genéticas locais.

Colaremos aqui um excerto duma entrevista retirada do site UniPlanet, umas das nossas fiáveis fontes de informação.

UniPlanet (UP): A Plataforma Transgénicos Fora está a criar a certificação “Sem OGM”. Podem explicar-nos como irá funcionar?

Funcionará de forma idêntica à certificação biológica, a rotulagem Sem OGM pode ser requisitada por qualquer produtor de géneros alimentícios a nível nacional. A iniciativa e o referencial Sem OGM são supervisionados pela Plataforma Transgénicos Fora, mas a implementação no terreno cabe às empresas de certificação. Os produtos que solicitarem e que se comprove que não foram produzidos com OGM poderão usar o rótulo Sem OGM.

UP: Existem muitos produtos fabricados com recurso a OGM e que não estão rotulados como tal. Podem dar-nos alguns exemplos?

A maioria dos ovos, carnes, peixes e lacticínios são produzidos com soja e milho transgénico, no entanto, essa informação não está disponível para o consumidor. Também produtos com uma percentagem de OGM até 0,9% não necessitam de ser rotulados. Este rótulo irá ajudar o consumidor a diferenciar os produtos.

Para saber mais sobre a Plataforma Transgénicos Fora e as suas intervenções consulte o nosso site e em especial o nosso dossier de atividades.

Deixe um comentário

  Subscribe  
Notify of
Do NOT follow this link or you will be banned from the site!